terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Anti Idade é na LojaSalviano.com

Rejuvenescedor  -



A pele é formada por células vivas que se reproduzem permanentemente desde a nascença. À medida que a idade avança, a sua capacidade de renovação diminui, trazendo sinais de envelhecimento.
O envelhecimento é um processo deteriorativo progressivo e irreversível. O organismo responde ativamente aos estímulos do seu meio adaptando-se rapidamente a novas circunstâncias. Quando o sistema que mantém a homeostase celular entra em declínio, inicia-se o processo de envelhecimento. O processo de envelhecer é uma característica dos seres vivos e o envelhecimento populacional é hoje uma realidade. Mas, paradoxalmente, vivenciamos o culto da juventude. 
A falta de tonicidade muscular e cutânea, as rugas e rídulas, a secura e desidratação, a falta de brilho e o aparecimento de manchas, podem ser alguns dos sintomas visíveis de uma pele envelhecida.
Várias teorias tentam explicar as causas do envelhecimento:
  • Teoria genética: Essa teoria é norteada por três hipóteses.
1a - As moléculas de DNA e RNA alteram-se ao longo do tempo e, ao falharem nos processos de transcrição e tradução das mensagens, produzem conseqüentemente erros na montagem das moléculas protéicas. Esses erros formariam moléculas enzimáticas com defeitos que, por sua vez, afetariam a capacidade funcional das células. Essa hipótese foi base para a elaboração de duas teorias, a teoria da “mutação somática” e do “erro catástrofe”.
Na teoria da “mutação somática”, a idéia básica é a de que o genoma celular acumula “erros” por meio da ação de processos ao acaso, uma vez que as células utilizam apenas 4% da informação contida em seu DNA durante seu período de vida. As causas da mutação somática podem ser a radiação, mutagênios, radicais livres que se originam do metabolismo e erros de transcrição.
A teoria do “erro catástrofe” envolve a tradução na síntese de proteínas. Quando a enzima aminoacil-sintetase que liga o aminoácido ao RNA funciona de forma incorreta, podem surgir erros na estrutura primária das proteínas que são sintetizadas pela célula. Diferentes proteínas celulares podem acumular erros em diferentes proporções.
2a - A segunda hipótese apóia-se no fato de que há uma relação direta entre a redundância gênica e a taxa de senescência. As seqüências repetitivas estão normalmente reprimidas, mas quando um gene ativo é extensamente lesado, um outro gene idêntico de reserva o substitui. A redundância de DNA poderia, portanto, proporcionar um mecanismo de proteção frente à vulnerabilidade intrínseca do sistema. Por meio desse mecanismo, prolongar-se-ia o tempo de sobrevivência da célula ao se evitar o acúmulo de um número suficiente de erros capazes de alterar a mensagem genética a ser transmitida. Assim, todos os genes repetitivos iriam ser utilizados, os erros se acumulariam, e as deficiências fisiológicas determinantes do envelhecimento iriam surgindo. Essa hipótese nos permite prever que as espécies com vida mais longa têm por conseqüência maior redundância de DNA e portanto, maior número de genes de reserva que as espécies de vida curta.
3a - A terceira hipótese genética do envelhecimento considera que as mudanças produzidas com a idade, como perda da pigmentação do cabelo, menopausa, osteoporose e a diminuição das faculdades atléticas, são continuações do desenvolvimento natural, por meio de uma seqüência de eventos genéticos programados. Cada indivíduo possui, dentro de suas células, seu próprio “programa genético de morte”, que seria acionado no momento oportuno. Os genes responsáveis pelo envelhecimento freariam ou deteriam as vias bioquímicas de forma seqüencial e iriam conduzir a uma expressão programada das modificações próprias do envelhecimento.
  • Teoria telomérica:
Os extremos dos cromossomos normais são constituídos por estruturas denominadas telômeros, que desempenham um importante papel no seu comportamento, como impedir a união entre os cromossomos. Os telômeros compõem-se de seqüências curtas de nucleotídeos, repetidas centenas de vezes em leveduras e vários milhares de vezes em vertebrados. Nos cromossomos humanos, a seqüência é [5´- TTAGGG- 3´], formando um segmento de DNA de aproximadamente 10 Kb no extremo do cromossomo. A fita complementar, rica em C, termina um pouco antes da fita rica em G, de modo que a última forma uma fita terminal monocatenária no extremo do cromossomo. Como a síntese de DNA avança somente na direção 5´ → 3´e depende de um iniciador, a síntese de DNA, no extremo do cromossomo, é interrompida.
A duplicação cromossômica normal produz um progressivo encurtamento dos telômeros, até que, depois de um número de divisões celulares, os cromossomos se tornam instáveis e a célula morre. Mesmo assim, há uma pequena porcentagem de células sobreviventes com capacidade de restaurar o comprimento dos seus telômeros mediante o mecanismo recombinante. Leva-se em consideração a hipótese do comprimento dos telômeros ser a responsável pelo aumento de divisões que uma célula possa sofrer.
A teoria do entrelaçamento cruzado se fundamenta em alterações moleculares que ocorrem devido à idade em moléculas que estão localizadas dentro de compartimentos extracelulares e intracelulares. Sustenta também que essas mudanças ocorrem quando duas ou mais moléculas se unem covalentemente. O entrelaçamento em moléculas como, por exemplo, as de colágeno pode diminuir a solubilidade, a elasticidade e a permeabilidade, podendo, dessa forma, aumentar a viscosidade no compartimento extracelular e impedir processos metabólicos críticos como a liberação de hormônios. Acredita-se em que esse entrelaçamento é o primeiro acontecimento molecular que conduz a maioria das mudanças para o processo de envelhecimento celular.
  • Teoria imunológica do envelhecimento:
Essa teoria se baseia em dois pontos básicos: 
1° - O primeiro apóia-se no fato de que, à medida que os indivíduos se vão tornando mais velhos, a capacidade do sistema imunológico de base celular e humoral diminui tanto de forma quantitativa quanto qualitativa. É nessa etapa da vida que o sistema imune se depara com sua maior deficiência, apresentando logo em seguida sua decadência. 
2° - À medida que as respostas imunológicas vão diminuindo, as manifestações auto-imunes têm um aumento gradativo com o avançar da idade, sendo tal sistema cada vez menos eficiente em distinguir entre os elementos próprios e os elementos estranhos ao organismo, resultando um aumento significativo das doenças autoimunes.
Acredita-se em que a diminuição das funções imunes ocorre devido a um déficit que está associado à idade dos linfócitos T, mais precisamente ligadas à precoce involução do timo que seria o responsável pela decadência idade-dependente e também pela capacidade do sistema imunológico em produzir linfócitos T.
O timo é um órgão linfático que está localizado na porção antero-superior da cavidade torácica. É vital contra a autoimunidade. Ao longo da vida, o timo involui (diminui de tamanho) e é substituído por tecido adiposo nos idosos, o que acarreta na diminuição da produção de linfócitos T. A atrofia do timo pode ser considerada como o ponto crítico, visto que ele atua como cronômetro mestre para o processo de envelhecimento.
  • Teoria da ação dos radicais livres:
Radicais livres são moléculas ou átomos com um número ímpar de eletrons, possuem elétrons de valência desemparelhados, e, portanto, são altamente reativos, podendo inclusive reagir entre si em uma dimerização para formar uma molécula com todos os elétrons emparelhados.
No nosso organismo, os radicais livres são produzidos pelas células, durante o processo de combustão por oxigênio, utilizado para converter os nutrientes dos alimentos absorvidos em energia.
Os radicais livres podem danificar células sadias do nosso corpo. Os processos metabólicos não são a única fonte de radicais livres. Fatores externos podem contribuir para o aumento da formação dessas moléculas. Entre esses fatores estão:
  • Poluição ambiental;
  • Raio-X e radiação ultravioleta;
  • Radiação eletromagnética;
  • Cigarro;
  • Álcool;
  • Resíduos de pesticidas;
  • Substâncias presentes em alimentos e bebidas (aditivos químicos, conservantes, hormônios)
  • Estresse;
  • Consumo de gorduras saturadas (frituras, etc);
  • Consumo de gordura animal;
O envelhecimento ocorre na maioria dos casos devido a reações, tais como exposição das células e de suas organelas a radiações ionizantes, reações não-enzimáticas e também de reações enzimáticas que proporcionam a redução de O2 e de água, com conseqüente produção de espécies
reativas ao oxigênio ou também chamados de radicais livres. Os radicais livres atuam no processo de envelhecimento, pois atingem direta e constantemente células e tecidos, os quais possuem ação acumulativa.
Os radicais livres atuam no processo de envelhecimento, pois atingem direta e constantemente células e tecidos, que possuem ação acumulativa. Se, no organismo, ocorre um desequilíbrio entre os agentes oxidantes e pró-oxidantes, ocorre um acúmulo de radicais livres, levando a célula à morte.
As rugas de expressão são decorrentes da contração muscular repetida ao longo dos anos e são mais comuns ao redor dos olhos, testa e lábios. Já as rugas estáticas são produto do envelhecimento da pele.
São decorrentes do processo natural de envelhecimento da pele, porém fatores ambientais e de estilo de vida podem acelerar seu desenvolvimento. Os principais agentes que contribuem para o desenvolvimento de rugas são: fumo, estresse, grande exposição aos raios do sol e alterações do hormônio feminino (estrogênio).
Quando há envelhecimento do indivíduo, são formados dois tipos de rugosidades na pele: 
- Rugas de expressão; 
- Rugas de envelhecimento.
Os sulcos (aberturas na superfície da pele) de expressão surgem em conseqüência da repetição constante de determinados movimentos faciais (como frangir a testa), ao passo que as de idade se originam por conta do afrouxamento da musculatura e da própria pele com influência da gravidade.
Fisiologia do envelhecimento: 
•  Aumento das ligações cruzadas nas moléculas de colágeno e elastina;
•  Aumento da colagenase;
•  Diminuição das fibras elásticas;
•  Diminuição do conteúdo hídrico extracelular, queratinócitos, melanócitos e vascularização.
Os cosmecêuticos da linha Adélia Mendonça são cosméticos dermocorretivos, indicados para o tratamento ativo da pele, que regeneram, revitalizam, oxigenam a pele, prevenindo e retardando o envelhecimento a que todos estamos sujeitos. É uma linha de produtos direcionada para peles miscigenadas com vários fototipos.

TRATAMENTO:


Para peles com predisposição a ressecamento e marcas de expressão (mímica):



Kit Tratamento Rejuvenescedor - 5 produtos



                     Encontrado na LojaSalviano.com

Descrição do Produto




  • Devolve luminosidade à pele, reduzindo focos de oleosidade; 
  • Clareia a superfície total de pele;
  • Acelera a renovação celular, promovendo o rejuvenescimento facial; 
  • Despigmentante periorbital (clareador de olheiras); 
  • Suaviza o aspecto cansado e as bolsas da área dos olhos; 
  • Estimula a produção de colágeno e elastina, recuperando a elasticidade e firmeza da pele
  •  (elimina a flacidez); 
  • Atua sobre a superfície da pele com reparo do relevo e desligamento das células mortas; 
  • Age no interior das células com acréscimo de volume e turgor; 
  • Reduz a intensidade das rugas e linhas finas.










Modo de usar: 
Manhã: 

  • Clean Up 
  • Clean Face Lotion 
  • Radiance Luminous Eyes
  • Daily Protection FPS 60

Tarde: 

  •  Clean Up
  •  Daily Protection FPS 60 

Noite: 

  • Clean Up
  • Clean Face Lotion
  • Radiance Luminous Eyes
  • Precious Cell Complex


Lembrabos da importância de seguir rigorosamente este protocolo.


Ativos: Ácido Salicílico, Resorcinol, Cânfora, Lactato de Mentila, Bisabolol, Ácido Hialurônico, Vitamina A, Vitamina E, Coenzima Q-10, Ceramidas, PCA Sódico, Pantenol, Extrato de Aloe Vera, Ciclometicone, Filtros UVA/UVB, Proteína de Colágeno Hidrolisada, PCA Sódico, Extrato de Sálvia, Extrato de Camomila, Extrato de Aloe Vera, Ácido Hialurônico, Ácido Múcico, Myoxinol®, Extrato de Iris Florentina, Raffermine, Tensine, Ceramidas, Ciclometicone, PCA Sódico, Pantenol, Alantoína, Célula Tronco Vegetal de Maçã Suíça, Fatores de Crescimento TGF-² e IDP-2, Lipossomas de Oxigênio, Ácido Hialurônico de Baixo Peso Molecular e Sensactive Veg® (composto neurocosmético derivado de fitoesteróis e triacilgliceróis). 


  • A Salviano Cosméticos é uma Distribuidora dos Produtos da Linha Adélia Mendonça Cosméticos, estamos localizados na cidade de Bom Sucesso, Sul de Minas Gerais, atendemos esta Região e também Zona da Mata, ao consumidor final, bem como clínicas e profissionais de estética e com nosso site  http://www.lojasalviano.com/    , todo o Brasil. 


2014 © Todos os direitos reservados - Adélia Mendonça Cosméticos